Métodos de Reposição Hormonal

Conheça os Métodos

de Reposição Hormonal

É importante ressaltar, que a maior parte dos métodos disponíveis no mercado, ao contrário dos Implantes Hormonais, são compostos por hormônios sintéticos – desenvolvidos em “laboratório”. Como já foi mencionado, esses hormônios não são totalmente bem absorvidos pelo organismo, causando efeitos colaterais durante a sua administração.

Para trazer ao conhecimento do público, seguem alguns desses métodos com uma pequena explicação sobre cada um e as diferenças que fazem dos Implantes Hormonais uma opção mais efetivamente compromissada com a reconquista do bem-estar e saúde de cada paciente.

Implantes Hormonais ELMECO

Os Implantes Hormonais desenvolvidos pelo Dr. Elsimar Coutinho são hipoalergênicos e podem ser compostos por testosterona ou estradiol bioidênticos, hormônio masculino ou feminino, respectivamente. Os hormônios bioidênticos possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios naturalmente produzidos pelo corpo humano, o que elimina os efeitos colaterais “indesejáveis”.

Além desses, também podem ser utilizados hormônios caracterizados Progestínicos como a Gestrinona, o Acetato de Nomegestrol e Elcometrina. Esses hormônios são associados de acordo com a necessidade de cada paciente, verificada após exames específicos. Os hormônios são liberados de forma gradativa e duram de seis meses como a elcometrina ou até um ano como os demais. Assegurando a praticidade e segurança desse método nos tratamentos hormonais.

reposicao-hormonal-goiania-wilson-della

Comprimidos (via oral)

São geralmente derivados de estrogênio e testosterona – hormônios sintéticos. De acordo com a necessidade de cada paciente, podem também ser compostos por progesterona. Segundo os estudos, o estrogênio e a testosterona facilitam o depósito de cálcio nos ossos, o que ajuda a prevenir a osteoporose.

Por outro lado, há efeito negativo sobre o fígado devido ao metabolismo de primeira passagem, as doses dessas substâncias são em níveis elevados para compensar as perdas. Os hormônios contidos em drogas orais, quando passam pelo tubo digestivo, são destruídos pelo suco gástrico, o que compromete sua eficácia – biodisponibilidade. Além disso, o uso diário obrigatório pode causar esquecimento de algum comprimido.

Injeção Intramuscular

Podem ser usadas com intervalos semanais ou mensais. A concentração de hormônios é muito alta nos primeiros dias, ou seja, a liberação não imita a produção natural do organismo. Não passa pelo fígado, mas pode sobrecarregar outros tecidos e causar problemas como aumento do mal colesterol (LDL), acne, calvície, agressividade, infertilidade, impotência, câncer de fígado, entre outros.

Cremes e cápsulas vaginais

Usado particularmente por mulheres, são aplicados diretamente na vagina. São compostos basicamente por estrogênio. O seu uso é diário, interrompendo somente durante o período de menstruação e dando continuidade no restante do mês. São comuns os casos de esquecimento da aplicação pelo paciente, o que acarreta uma quebra no tratamento receitado pelo médico especialista.

Adesivos (Reposição Transdérmica)

São colocados geralmente na região do glúteo, sendo trocados semanalmente. Os hormônios contidos no adesivo entram na corrente sanguínea através da pele. Os adesivos começaram a ser utilizados mais frequentemente indivíduos de faixa etária mais avançada, que já fazem uso de outros medicamentos que sobrecarregam a digestão dessas substâncias.

Um dos efeitos colaterais mais recorrentes nesse método é a reação alérgica apresentada na pele dos pacientes. Há relatos de até 80% de casos de reações alérgicas. São também apontados casos de esquecimento da aplicação, além de não ter um controle muito rígido da dosagem que deve ser aplicada para cada paciente.

Spray (via nasal)

É uma formulação composta por estradiol semi-hidratado ou testosterona. Não costuma apresentar reações na pele, mas tem uso ainda é restrito no Brasil.

Gel de Testosterona

Foi lançado no Brasil há pouco tempo. Seu perfil farmacológico é semelhante aos métodos trasndérmicos, como cremes e adesivos. Por ter aplicação diária obrigatória, também são comuns os casos de esquecimento da aplicação e ainda problemas relacionados com a variação da dosagem durante a aplicação.

Implantes Organon

Tem princípios que se aproximam do Implantes Hormonais desenvolvidos pelo Dr. Elsimar Coutinho, mas, por ter duração de três anos, contém uma quantidade de hormônio muito mais elevada para ser administrada. Além disso, são utilizados somente como método anticoncepcional.

Implantes Hormonais

Resultado de mais de 40 anos de estudos sobre a atuação dos hormônios no corpo humano, os Implantes Hormonais oferecem benefícios extraordinários para pessoas de ambos os sexos.

O papel do Médico

Por ser uma modalidade de tratamento hormonal, o acompanhamento, indicação e prescrição médica para realizar o uso dos implantes hormonais é imprescindível, para acompanhamento dos efeitos colaterais, sintomas e resultados. O médico especialista irá:

  • Identificar o perfil do paciente e avaliar se ele é candidato para esse tipo de tratamento;
  • Calcular a dosagem hormonal individualizada;
  • Tratar os possíveis efeitos colaterais e sintomas indesejados;
  • Acompanhar os resultados;
  • Garantir a manutenção da qualidade de vida e bem-estar do paciente.

Alguma dúvida?

Entre em contato

Estamos disponíveis para responder qualquer dúvida, agendar uma consulta para avaliação médica, diagnóstico e tratamento do seu caso. Basta enviar-nos uma mensagem no formulário.

Nome
E-mail
Telefone ou WhatsApp
Como descobriu o site?
Mensagem